moda feminina

Moda feminina: como combinar sapatos e vestidos?

Vestidos, nunca nos cansamos deles! Longo ou curto, estilo boêmio, chique ou gráfico, eles nos acompanham o ano todo e em qualquer ocasião. Ao usar um vestido, os sapatos têm um grande papel a desempenhar na roupa: o último toque do look, eles podem transformar seu estilo num piscar de olhos. 

Sapatos planos ou sapatos de salto… Botas, sandálias, mocassim, scarpin, tênis… A escolha dos sapatos para usar com um vestido é grande. Como combinar seus sapatos femininos com seu vestido? Vamos te ajudar com sugestões também que funcionam com suas saias favoritas!

Um vestido com botas altas

Um vestido curto com botas altas é um atemporal que nos encanta e trabalha com tudo: um vestido preto, um vestido queimado, um vestido suéter… Já faz algum tempo que a tendência do vestido longo com botas altas também floresceu, uma associação que dá muita caráter para a roupa e que amamos! 

Qual modelo de botas altas adotar? Botas de salto de couro são ideais com todos os seus vestidos. Escolha uma cor de sapatos que seja fácil de associar com suas roupas: preto, marrom… e é isso.

Botas também fazem maravilhas com nossos vestidos queridos. Se você não sabe como escolhê-los ao usar um vestido, opte por sapatos que combinem com o estilo do seu vestido. 

Botas de camurça de são muito bonitas com um vestido com flores. Você tem um estilo rock? Atreva botas com detalhes fechados ou cravejados! Você está mais no modo chique e elegante? Um vestido quadriculado será uma delícia com botas de couro envernizadas ou lisas.

Vestido com Scarpins

O sapato scarpin instantaneamente dão um efeito muito elegante

ao seu vestido. Estes são sapatos ideais para torcer um vestido

cotidiano em uma roupa chique para um jantar, ele também serve para dar aquele toque final no seu vestido de festa, mostrando a elegância enquanto anda. 

Um vestido com derbies

Você prefere sapatos baixos como sapatilhas femininas? Derbies e mocassins trazem um toque de elegância e charme aos seus vestidos com seu estilo! Esses sapatos vão perfeitamente com um vestido jeans, um vestido de camisa, um vestido queimado ou um vestido suéter.

No entanto, evite vestidos longos extras com derbies e mocassins: isso pode abafar a perna. Em vez disso, escolha vestidos curtos, comprimento do joelho ou meio-dia com este tipo de sapatos.

Um vestido com tênis de moda

Um vestido com tênis da moda? É o combo vencedor que encanta a todos! Usando um vestido preto simples? Você pode realçar sua roupa com tênis de couro com cabelo baixo. 

Você está usando um vestido esportivo chique inspirado ou um vestido suéter? Tênis com acabamento brilhante dá um toque brilhante ao seu look… e assim por diante! Tênis de moda vêm em todos os estilos e podemos mistura-los infinitamente com nossos vestidos, use a criatividade e seja você mesma!

Acesse Vitae e encontre os melhores calçados para combinar perfeitamente com seus vestidos e arrasar em qualquer lugar! 

Por que toda empresa deve ser sustentável?

Hoje em dia tornou-se mais comum ouvir falar de empresas sustentáveis. Na maioria dos casos, essas empresas seguem políticas ambientais para que seu trabalho cause menos impacto ao planeta Embora este seja um avanço muito importante, uma vez que estamos nos conscientizando das consequências de nossas ações, as empresas devem buscar ser sustentáveis ​​não apenas em questões ecológicas, mas em diferentes áreas.

Como defende o LatinAmerican Post, as empresas devem ser sustentáveis ​​em termos sociais, culturais, econômicos, entre outros. Sustentabilidade é encontrar o equilíbrio entre propósito e lucro para que não apenas a empresa cresça, mas também seus integrantes e a comunidade onde desenvolve suas atividades. O desempenho financeiro deve andar de mãos dadas com o desempenho social e ambiental

É por isso que sustentabilidade não deve ser confundida com filantropia, pois não se trata de empresas doarem parte de seus lucros e obter resultados de curto prazo, cujo impacto será perdido com o tempo. Ao contrário, ser sustentável é garantir a estabilidade financeira e social de forma estratégica.

Veja também como conseguir o licenciamento ambiental para a sua empresa.

Benefícios da Sustentabilidade

A sustentabilidade pode trazer diversos benefícios na hora de fazer negócios. Por exemplo,  projetará mais credibilidade, pois fará com que os clientes saibam que a empresa respeita a comunidade, o meio ambiente, o setor etc. Além disso, permitirá que colegas, concorrentes, clientes, funcionários, entre outros, saibam que os fundamentos da sua empresa são a transparência e a responsabilidade

Sendo motores do desenvolvimento económico, as empresas devem definir a forma como irão gerir os recursos (ambientais e sociais) de forma a promover a construção e o progresso em termos económicos, políticos e culturais. Em outras palavras, as  entidades empresariais não podem se dedicar apenas à produção de riqueza e geração de emprego, devem promover e ajudar o florescimento da sociedade

A sustentabilidade é uma alternativa de crescimento empresarial que os posiciona como instituições que trabalham para o bem comum e não apenas para interesses privados. As empresas devem estar cientes do impacto de suas operações e projetar políticas e estratégias que respondam a interesses comuns e devolvam o que levaram. Essas decisões, claro, devem ser estratégicas para que a mudança e o impacto das políticas sustentáveis ​​possam ser evidenciados.

Ser sustentável é fazer a diferença e impactar positivamente a sociedade. Desta forma, não apenas a guilda é empoderada, mas também a sociedade em geral. A razão de ser sustentável se baseia no fato de que as empresas não são instituições fora da sociedade. Ao contrário, são entidades que podem produzir mudanças, transformar, inovar e renovar dinâmicas socioambientais.

Essa forma de fazer negócios garante às empresas maior sustentabilidade no médio e longo prazo e se torna uma ferramenta para alcançar maior competitividade.

 

AS CURIOSIDADES DO LITORAL BRASILEIRO

O Brasil é banhado pelo oceano Atlântico, desde o cabo Orange até o arroio Chuí, numa extensão de 7.408km, que aumenta para 9.198km se considerarmos as saliências e as reentrâncias do litoral brasileiro. Ao longo de todo o litoral brasileiro se alternam praias, falésias, dunas, mangues, recifes, baías, restingas e outras formações menores.

De fato, o Brasil é um país rico em hidrografia, isso já é de conhecimento de grande parte da população brasileira, no entanto, poucos têm conhecimento sobre o litoral brasileiro que também é de grande influência econômica para o país. Por outro lado, um dos atrativos do litoral brasileiro é as possibilidade favorecidas para a navegação por todo o ano, que beneficia os portos em relação às questões econômicas com a exploração da pesca que vem crescendo de forma lenta, mas que também enfrentam problemas de desuso, sem equipamentos e tecnologias modernas.

O grande destaque do litoral brasileiro se direciona às inúmeras e belas praias que são atrativos turísticos para milhões de pessoas do Brasil e de outros países, essas pessoas utilizam para inúmeras atividades de lazer, esporte e cultura. Por exemplo, os banhos de mar e também de sol, o surf que para uns é praticado por lazer e outros praticam profissionalmente. Bem como, o mergulho, em que o acesso é possível em praticamente durante todo ano, exceto em relação ao surf que necessita de presença de ondas para sua prática.

O litoral Norte vai da foz do rio Oiapoque ao delta do rio Parnaíba. Desse modo, compreende cerca de 1.500 quilômetros de faixa litorânea. Então, apresenta grande extensão de manguezais exuberantes, assim como matas de várzeas de marés, campos de dunas e praias. Apresenta rica biodiversidade em espécies de crustáceos, peixes e aves.

O litoral Nordeste começa na foz do rio Parnaíba e vai até o Recôncavo Baiano. Dessa forma, é formado pela junção entre as costas norte e leste do país. São mais de 3 mil quilômetros de extensão. Além disso, é marcado por recifes calcíferos e areníticos, além de dunas que, quando perdem a cobertura vegetal que as fixam, movem-se com a ação do vento. Há ainda nessa área manguezais, restingas, lagunas e matas. Nas águas do litoral nordestino vivem o peixe-boi marinho e as tartarugas, ambos ameaçados de extinção.

O litoral Sudeste segue do Recôncavo Baiano até São Paulo, com 1.500 quilômetros. Primeiramente, é a área mais densamente povoada e industrializada do país. Suas áreas características são as falésias, os recifes e as praias de areias monazíticas (mineral de cor marrom-escura). É dominada pela Serra do Mar e tem a costa muito recortada, com várias baías e pequenas enseadas. O ecossistema mais importante dessa área é a mata de restinga. Essa parte do litoral é habitada pela preguiça-de-coleira e pelo mico-leão-dourado (espécies ameaçadas de extinção). 

A cidade litorânea mais famosa do Brasil é o Rio de Janeiro, são inúmeras praias, que são cercadas pelas belas montanhas. Dessa forma, Copacabana, Ipanema, Leblon, Barra da Tijuca, são alguns exemplos de praias bastante conhecidas. Por exemplo, no Posto 5 da Praia da Barra está o lançamento da Cyrela, o condomínio Wave By Yoo. Um projeto a frente do seu tempo e de frente para o mar.

O ponto mais ao sul do Brasil está localizado perto do mar, na fronteira com o Uruguai, no município de Santa Vitória do Palmar. A alguns quilómetros a norte, encontra-se a Praia do Cassino, com 245 km de comprimento (embora outras fontes o medem com 212 km de comprimento). Considera-se (especialmente por aqueles dentro do país) para ser a praia mais longa do mundo, embora outras praias em todo o mundo também sejam apresentadas como recordistas. No entanto, é de fato o mais longo do Brasil.

Então, Florianópolis, a capital de Santa Catarina, está localizada em uma das maiores ilhas costeiras do Brasil, a Ilha de Santa Catarina, com uma área de 424,4 km². A serra da Serra do mar começa em Santa Catarina e percorre os litorais do Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo. Por outro lado, o litoral do Paraná é pequeno se comparado a outros estados. No entanto, é muito diversificado geograficamente, com um número considerável de ilhas e baías.

Portanto, o litoral brasileiro é rico em cultura, natureza e muita diversidade. Das dunas do Norte e Nordeste, passando Cristo Redentor no Sudeste até as belas ilhas do Sul. São quase 9km², com águas que se misturam e se diferem. É único e plural o Litoral do Brasil.

Tipos de chinelos (nomes e diferenças explicadas)

Chinelos são itens domésticos comuns que servem a um propósito específico. Proporcionam conforto e proteção para os pés ao caminhar dentro de casa. Ao lado das sandálias, os chinelos são o tipo de sapato mais antigo que ainda existe.

Como os confortos das criaturas evoluíram ao longo dos últimos séculos, os chinelos também evoluíram. Embora muitos tipos abastados tenham comprado ou mesmo personalizado chinelos quase como parte da decoração da casa, a verdade é que muitas pessoas menos abastadas gostaram de chinelos para relaxar em casa.

Graças à produção em massa, os chinelos agora são bastante comuns em todo o mundo, com muitos estilos e designs diferentes.

Para quem está comprando chinelos, existem muitos tipos de calçados que apresentam semelhanças, mas também diferenças consideráveis.

Entender o que são chinelos, como funcionam e suas diferenças em relação a outros calçados ajudará você a tomar a decisão mais bem informada sobre qual tipo atenderá às suas necessidades e à sua carteira.

Um chinelo é considerado um calçado leve, projetado para ser usado em ambientes internos, especialmente para uso doméstico. Eles são feitos de materiais macios, têm uma sola dura e um tecido que envolve o pé para ajudar a manter o chinelo no lugar.

Até recentemente, os chinelos eram feitos principalmente à mão, muitas vezes pela pessoa que os usava, ou talvez eles tivessem alguma ajuda. Nesses casos, os chinelos eram geralmente feitos com os materiais disponíveis. A principal função era manter os pés aquecidos e fornecer alguma proteção também. Um bom par de chinelos foi apreciado, especialmente nas noites frias.

Os chinelos podem ser identificados por seus traços de design específicos que começam com o próprio nome. O chinelo é projetado para ser facilmente “deslizado” no pé. Isso significa que eles são projetados com o seguinte em mente.

  • Tecido confortável e elástico que se ajusta ao pé
  • Sola dura
  • Projetado para respirabilidade e conforto
  • Muitas vezes usa desenhos ou padrões coloridos

Claro, existem variações de chinelos que incluem materiais mais duros ao redor do dedo do pé. E alguns também podem ser usados ​​ao ar livre, embora de maneira limitada. Os chinelos têm uma sola dura caso você precise sair para pegar o papel, por exemplo. Caso contrário, eles são projetados principalmente para serem usados ​​​​no interior.

Os chinelos também são geralmente planos com pouco suporte de arco. No entanto, existem certos designs que incluem mais suporte para os arcos ou inserções que podem ser usadas. Mas dito isso, os chinelos não são projetados para caminhar. Eles são projetados para caber confortavelmente enquanto você está de pé, sentado ou deitado.

Entender as diferenças entre chinelos e outros tipos de calçados começa com um dos itens mais populares, os sliders.

Chinelos de casa

Isso é mais ao longo das linhas de uma categoria e não de um tipo específico. Todos os chinelos são projetados para uso interno. Mas alguns chinelos podem ser usados ​​ao ar livre porque têm solas duras que os protegem do chão, da areia ou do pavimento, com a notável exceção dos chinelos. Chinelos internos são projetados para serem usados ​​principalmente em ambientes fechados e geralmente denotam conforto e estilo em oposição à durabilidade.

Os chinelos internos podem ser feitos de qualquer material associado ao calçado, mas geralmente têm solas macias, em oposição às endurecidas, como borracha ou plástico. Eles geralmente são bastante elegantes e projetados para a aparência tanto quanto para o conforto.

Chinelos ao ar livre

Uma categoria geral de chinelos em vez de um tipo específico, os chinelos ao ar livre são projetados como o nome sugere para serem usados ​​ao ar livre. Eles terão uma sola dura que é flexível, mas projetada para ambientes externos. Eles geralmente envolvem os pés e são feitos para excursões de curta distância, como pegar o jornal da manhã, recuperar cartas da caixa de correio e dar uma curta caminhada para visitar o vizinho.

Mas eles não são projetados para caminhadas de longa distância, pois isso se enquadra na categoria de sapato. Chinelos ao ar livre abrangem diferentes tipos, como mocassins, chinelos e sliders.

O que se segue são os dois tipos básicos de chinelos, salto fechado e salto aberto. Cada tipo terá vários estilos diferentes de chinelo que têm um salto aberto ou fechado.

Chinelos de salto fechado

Um chinelo fechado é sem dúvida o tipo mais comum de chinelo. Estes são chinelos que envolvem totalmente o pé dos dedos dos pés ao calcanhar. Eles são normalmente feitos de materiais flexíveis, como tecido, plástico ou outra substância. A diferença entre chinelos fechados e sapatos é de propósito. Um chinelo fechado é projetado para ser usado dentro de casa.

Chinelos fechados geralmente são simples, mas muitos terão padrões decorativos ou esquemas de cores. Eles geralmente têm solas de plástico duro que fazem barulho em pisos de madeira ou cerâmica.

Sapatilhas de balé

Pode-se argumentar que as sapatilhas de balé são mais como meias. Eles são feitos de material muito macio e projetados para envolver os pés como uma meia ou mocassim. A diferença é que o próprio material é projetado para o propósito específico do balé.

Um sapatinho de balé envolve o calcanhar, embora pouco, e terá tiras macias que prendem o sapatinho ao tornozelo. O chinelo em si é projetado para apresentação, e é por isso que está associado ao balé. No entanto, também pode ser usado para ocasiões elegantes.

Chinelos

São chinelos que imitam a forma de botas sem salto ou botinhas como costumam ser chamadas. As botas são mais associadas a bebês que escorregam e envolvem totalmente os pés até o tornozelo. O tamanho e o peso do chinelo o mantêm nos pés, mas não é um ajuste apertado.

Os chinelos são geralmente feitos de couro com forro de lã ou pele para aquecimento extra. Alguns chinelos se assemelham ao “Beatle Boots”, que é o calçado que ficou famoso pelos Beatles na década de 1960.

Tamancos de chinelo

Este tipo de chinelo se assemelha a tamancos comuns na Holanda. Um tamanco é um sapato ou chinelo totalmente fechado feito de materiais duros ou materiais macios. São chinelos fechados, mas apenas um pouco como o salto é bastante baixo.

As pantufas normalmente são feitas de tecidos com forro de lã. A sola é flexível e o próprio chinelo é feito para o conforto. No entanto, eles não são adequados para caminhadas prolongadas por causa do salto baixo.

Chinelos de noite

Este é um chinelo decorativo que muitas vezes é chamado de “Príncipe Albert”. Isso se refere a Albert, Príncipe Consorte que tornou este tipo de chinelo famoso. No entanto, chinelos noturnos é o termo mais familiar.

O chinelo em si é feito de veludo e possui um laço de gorgurão. Muitas vezes você pode encontrar as iniciais da pessoa que possui os chinelos no topo. Além disso, as solas são feitas de couro. Este tipo de chinelo deve ser mais caro, mas oferece um conforto considerável combinado com seu estilo para fazer uma declaração.

Mocassins

Este é um chinelo que é feito inteiramente de couro macio. O termo “mocassim” é uma palavra algonquina que se aplica a todos os calçados semelhantes criados por nativos americanos. O termo pegou porque a tribo algonquiana foi a primeira encontrada pelos colonos europeus.

Não há calcanhar separado e envolve o pé para proteção. Usando uma costura simples, o mocassim pode ser usado ao ar livre como foi projetado, embora o couro macio se desgaste rapidamente ao caminhar em superfícies duras.

Chinelos de dedo

Novamente, esta é mais uma categoria geral do que um tipo específico de design de chinelo. Como o nome sugere, são chinelos projetados principalmente para escorregar nos pés. Eles têm uma aparência semelhante aos sapatos Oxford, mas sem os cadarços. O tecido macio e flexível que normalmente compõe o slip-on abraça o calcanhar do pé.

Projetado principalmente para o conforto, o slip-on geralmente é simples no design de cores e também não possui padrões. No entanto, eles são bastante populares, especialmente no Reino Unido.

Botas de chinelo

Estes são chinelos projetados para aparecer como botas. Na maioria dos casos, as botas de chinelo imitam as botas de pele de carneiro que costumam ser usadas em climas mais frios. Esse tipo de calçado geralmente é feito de lã e tem um forro macio, mas com uma sola dura de plástico ou material similar.

As botas de chinelo são usadas principalmente por mulheres e podem ser usadas ao ar livre para proteger os pés em distâncias curtas. Mas eles não devem ser confundidos com botas padrão.

Chinelos de salto aberto

Aberto: Como o nome sugere, são chinelos que deixam o calcanhar aberto, para que você possa deslizar o pé para dentro e para fora com facilidade. A camada sobre os dedos e a frente do pé é normalmente feita de tecido, embora possa ser de qualquer material. Esse tipo de chinelo é comumente associado aos abastados e muitas vezes possui padrões decorativos.

Chinelos de salto aberto são comumente distribuídos por hotéis cinco estrelas. A desvantagem do chinelo de salto aberto é que ele não tem suporte para o calcanhar, por isso não foi projetado para caminhar distâncias apreciáveis.

Sandálias de dedo

Possível a versão mais reconhecível de chinelos de salto aberto, os chinelos são abertos e de salto alto e encontrados principalmente na praia. No entanto, os chinelos podem ser usados ​​ao ar livre quando as temperaturas estão quentes.

Os chinelos se assemelham a controles deslizantes, mas existem duas diferenças. Os chinelos geralmente são feitos de material macio e flexível, em oposição aos controles deslizantes rígidos. E os chinelos têm uma alça que cobre os dedos dos pés e se prende entre o dedão do pé e o segundo dedo do pé.

O próprio nome vem do som de tapa quando se flexiona quando você anda. Os chinelos costumam ser bastante simples em cor ou padrão, pois são projetados principalmente para conforto e não para aparência.

A principal diferença entre sandálias e chinelos é que as sandálias usam tiras para prender as solas e envolver o tornozelo, e os chinelos usam alça em forma de Y para segurar as solas, mas não têm alça para prender o tornozelo.

Chinelos de sandália

Este é um tipo de chinelo projetado para imitar uma sandália. As sandálias são essencialmente uma sola com tiras que as prendem ao pé. A sandália é o tipo de calçado mais antigo. Os chinelos de sandália funcionam da mesma maneira que as sandálias tradicionais, mas devem ser usados ​​em ambientes fechados. Este tipo de chinelo é aberto e geralmente é feito de couro ou outro material flexível.

Os chinelos de sandália não devem ser usados ​​em climas mais frios, mas protegem a parte inferior dos pés. Eles vêm em cores diferentes, mas o estilo geral é aproximadamente o mesmo.

Chinelos desgastados

Este é outro termo usado para chinelos de salto aberto. O nome scuff vem do som que o chinelo faz ao caminhar. Como o calcanhar é aberto, permite que o chinelo bata ou arranhe a superfície fazendo um barulho distinto. Os chinelos Scuff podem ser feitos de couro, plástico ou tecidos e vêm em uma ampla variedade de cores e padrões.

Sliders: Um slider é um chinelo de calcanhar aberto que também é aberto. Eles são feitos de um material rígido e são projetados para fácil acesso, daí o nome. Ao contrário dos chinelos tradicionais, os chinelos são projetados para serem usados ​​ao ar livre ao caminhar na areia quente. Eles não são projetados para caminhadas prolongadas devido à natureza do calcanhar aberto do calçado.

Meias de chinelos

As meias de chinelo ocupam uma categoria única de chinelos porque são apenas meias. Eles têm nós de borracha ou plástico que proporcionam uma superfície antiderrapante, para que você possa andar com as meias sem que o tecido toque o chão. As meias não seriam confortáveis ​​de usar dentro de um sapato.

As meias de chinelo não são exatamente chinelos, mas funcionam da mesma maneira. Eles são bastante práticos, pois as meias podem ser enroladas e transportadas mais facilmente em comparação com os chinelos padrão.

Também deve-se notar que certos tipos de sapatos podem se enquadrar na categoria de chinelos com base principalmente no uso em ambientes fechados. No entanto, existem diferenças definidas entre sapatos e chinelos, portanto, a escolha do calçado certo começará com a finalidade do próprio calçado.

Diferenças entre chinelos e sapatos domésticos

Deve-se notar que sapatos domésticos é um termo genérico usado para descrever uma ampla gama de sapatos projetados principalmente para serem usados ​​em casa. Embora o mesmo possa ser dito dos chinelos, os sapatos da casa incorporam estilos de sapatos além dos chinelos em seu contexto.

Indiscutivelmente, a principal diferença é que os chinelos são projetados para serem “escorregados” no pé. Os sapatos da casa incorporam designs diferentes que podem não incluir esse recurso. Muitas vezes, os sapatos de casa são um velho par de sapatos padrão que foram usados ​​para outros fins. Um velho par de tênis, um par de sapatos casuais ou até mesmo outro tipo de calçado interno que tenha um design diferente em relação aos chinelos.

De um modo geral, os sapatos de casa podem incluir a família dos chinelos, mas não são chinelos pela definição clássica. Considere isso quando estiver procurando por calçados confortáveis ​​para dentro de casa.

Diferenças entre chinelos e chinelos

Os chinelos podem ser um dos itens de calçados mais comuns do mundo. Uma variação da sandália, os chinelos são fáceis de usar, confortáveis ​​e podem ser usados ​​tanto em ambientes internos quanto externos. O nome deriva do som de tapa que eles fazem ao caminhar.

Estão mais associados à praia graças ao seu enchimento de espuma espessa para proteger os pés da areia quente. Eles também não exigem meias. O tipo mais comum de meia não funcionaria ao usar um chinelo graças à forma como eles são construídos.

O design simples é a única conexão entre chinelos e a maioria dos chinelos. As diferenças são consideráveis.

  • Os chinelos não têm costas
  • Os chinelos prendem a alça à sola entre o dedão e o segundo dedo do pé
  • Os chinelos são feitos para conforto, enquanto os chinelos são feitos para serem práticos

Os chinelos são mais notáveis ​​​​pelas solas de espuma grossas que são projetadas para proteção prática na praia. Eles também são bastante coloridos e são feitos para serem vistos apenas para encontrá-los facilmente antes de colocá-los.

Os chinelos são semelhantes aos slides ou sliders, pois não têm suporte. Mas são diferentes na forma como a alça se prende à sola. Isso é o que os mantém no pé com a pressão aplicada pelos dedos dos pés para encaixar os chinelos no lugar.

Como os chinelos não têm apoio para as costas, eles não são feitos para serem usados ​​em caminhadas de longa distância. Eles funcionam bem na areia, são fáceis de limpar e, com um pouco de cuidado, podem durar bastante tempo. No entanto, eles também são bastante baratos, então a maioria das pessoas simplesmente joga fora seu par velho e desgastado por um novo.

Diferenças entre chinelos e sandálias

As sandálias são o tipo de sapato mais antigo do mundo. Eles são anteriores ao registro histórico e versões primitivas de sandálias foram usadas dezenas de milhares de anos atrás. A sandália é a forma mais básica de sapato. Eles são feitos de materiais macios e naturais, como couro, que deslizam sobre os pés. Eles têm uma alça traseira que se encaixa abaixo do tornozelo que os prende no lugar.

Curiosamente, as sandálias mais antigas já encontradas estavam localizadas em Oregon, EUA. A datação por radiocarbono das sandálias graças à casca de artemísia usada para criá-las lista sua idade em pelo menos 10.000 anos.

Embora muitas sandálias prendam as tiras na sola, o ponto de conexão geralmente não é entre os dedos dos pés como um chinelo. Em vez disso, é usada uma alça que se encaixa nos dedos e na parte superior do pé de um lado para o outro. Hoje, as sandálias ainda são bastante populares. Muitas vezes feitos de materiais modernos, eles vêm em diferentes estilos e usos.

Existem algumas semelhanças visuais entre chinelos e sandálias. Mas a principal diferença é que as sandálias são feitas principalmente para o ar livre, enquanto os chinelos são principalmente para uso interno. Embora as sandálias típicas não durem tanto quanto os sapatos convencionais, algumas podem ser bastante duráveis ​​quando feitas de materiais resistentes e com os devidos cuidados.

Outra diferença é que as sandálias tendem a ser abertas, permitindo que os pés respirem e fiquem frescos. Enquanto os chinelos tendem a ser quentes e aconchegantes. As diferenças entre chinelos e sandálias são bastante perceptíveis, especialmente se você estiver comprando um sapato interno.

Diferença entre chinelos e Chappals

Chappals são essencialmente sandálias feitas na Índia. O povo da Índia usa chappals há muitos séculos.

  • Construção em couro
  • Solas duráveis
  • Usado para calçados internos e externos

No entanto, a principal diferença entre chappals e chinelos é que os chinelos não são usados ​​principalmente ao ar livre. Na verdade, os chinelos são feitos apenas para uso interno. Isso significa que eles não têm solas duras em comparação com os chappals. Enquanto você pode usar chappals como chinelos, você não pode usar chinelos como chappals para uso ao ar livre.

Diferença entre chinelos e mules

Embora muitos possam considerar as mulas um desenvolvimento relativamente recente no calçado, elas realmente remontam a vários séculos. Eles são mais conhecidos por serem criados durante o auge do Império Romano.

Eles desempenhavam uma função semelhante aos chinelos, pois deveriam ser usados ​​em ambientes fechados. Apesar do nome ser uma raça equina, mulas vem do latim, que significa sapato sem encosto ou chinelo. As mulas são caracterizadas pelo seguinte.

  • Sem volta
  • Salto curto
  • Materiais duráveis ​​e duros

Embora os chinelos e as mulas sejam projetados para uso interno, as principais diferenças são que as mulas geralmente são feitas de materiais mais duros e não têm costas. Enquanto os chinelos usam materiais mais macios projetados para deslizar confortavelmente ao redor dos pés, os mules usam materiais mais densos nos quais os pés deslizam para serem usados.

Diferença entre chinelos e flutuadores

Os flutuadores são um tipo de calçado aberto que pode parecer semelhante a tangas ou chinelos. Geralmente são feitos com materiais duros, principalmente a sola e projetados para uso externo. As características dos flutuadores são definidas a seguir.

  • Dedo do pé aberto
  • Cinta ao redor do peito do pé e tornozelo
  • Sola sólida, geralmente feita de borracha ou plástico endurecido

É a tira ao redor do tornozelo que fornece suporte extra em comparação com as tangas, mules ou sliders, o que torna os flutuadores mais fáceis de andar. As principais diferenças entre flutuadores e chinelos começam com seu uso. Os flutuadores são feitos para situações ao ar livre, principalmente na praia ou ao longo da água. Além disso, os flutuadores são projetados para serem resistentes e robustos, enquanto os chinelos são projetados principalmente para serem macios e confortáveis.

Diferença entre chinelos e tangas

Em algumas partes do mundo, as tangas são mais conhecidas como chinelos graças ao som que fazem ao bater na sola dos pés ao caminhar. As tangas são calçados muito populares que ganharam destaque na década de 1960, principalmente nas praias. Este tipo de calçado é definido por estes 3 modelos:

  1. Correia de ligação à sola entre os dedos
  2. Materiais macios
  3. À prova d’água

A maioria das tangas é feita de materiais baratos, embora duráveis, projetados para esticar e “cair” ao caminhar. Graças ao ponto de conexão entre os dedos, é mais fácil caminhar por distâncias maiores em tangas do que em mulas.

No entanto, eles são realmente projetados para proteger as solas dos pés das areias quentes encontradas nas praias ou nas curtas distâncias. As principais diferenças entre tangas e chinelos são as seguintes.

  • As tangas são feitas principalmente para uso externo
  • As tangas não se encaixam nos pés
  • Os chinelos não têm uma tira de conexão que é grampeada na sola como uma tanga.

Embora você possa usar tangas ou chinelos dentro de casa e muitas pessoas o façam, eles não são o mesmo que chinelos.

Diferenças entre chinelos e slides

Existem muitas semelhanças entre chinelos e slides ou sliders. Ambos são feitos para serem usados ​​dentro de casa e ambos são feitos de materiais confortáveis. Na verdade, existem alguns designs de chinelo que imitam a forma dos controles deslizantes até certo ponto. No entanto, existem algumas diferenças significativas também.

Sliders têm uma parte traseira aberta, daí o nome. Você desliza o pé direto no controle deslizante em vez de puxá-lo nos pés, como acontece com os chinelos. Além disso, os sliders têm um dedo do pé aberto, o que significa que os dedos não são cobertos ao usar sliders. É verdade que alguns tipos de chinelos também são abertos, mas não como regra geral.

Não é surpreendente que slides ou sliders sejam bastante populares. Basta deslizar os pés para dentro e começar a andar. Em muitos aspectos, eles são bastante semelhantes aos chinelos em termos de conveniência. No entanto, eles geralmente têm solas mais duras e grossas, o que os torna mais adequados para ficar em pé, se não para andar. Por causa de suas costas abertas, caminhadas prolongadas podem sobrecarregar os músculos da panturrilha para algumas pessoas.

Os chinelos mantiveram seu status como o principal sapato interno para quem deseja conforto e um ajuste aconchegante. Dada a sua longa história combinada com excelente ajuste com materiais novos e respiráveis, os chinelos são, de certa forma, mais populares do que nunca. No entanto, os chinelos tendem a ser mais atraentes para as pessoas mais velhas, talvez por causa de sua história. Ou simplesmente o fato de ajudarem a aquecer os pés em uma noite fria de inverno.

Comprar chinelos deve ser uma experiência agradável. Você pode escolher entre as diversas cores, padrões e tipos de materiais usados ​​para criar esse tipo específico de calçado interno. Compreender as diferenças entre chinelos e outros calçados que são frequentemente vistos dentro de casa ajudará você a tomar a decisão mais bem informada sobre o que é certo para suas necessidades.

Sliders tornaram-se bastante populares nos últimos anos. O nome é derivado do fato de que você pode literalmente deslizá-los em seus pés. Os controles deslizantes são caracterizados pelo seguinte.

  • Sem encosto
  • Aberto
  • Alça ou série de tiras nos dedos dos pés e no pé para mantê-los no lugar

Os controles deslizantes são feitos para serem confortáveis, mas sua principal reivindicação à fama é que você pode deslizá-los rapidamente antes de sair. As solas são geralmente feitas de borracha ou outro material durável. E eles são bastante populares na praia. No entanto, eles não são realmente projetados para caminhadas prolongadas, pois a falta de costas coloca mais pressão nos tendões de Aquiles ao segurar os controles deslizantes no lugar.

Além disso, os controles deslizantes não são tangas ou chinelos, pois não têm ponto de conexão que você possa segurar com os dedos dos pés. As diferenças entre sliders e chinelos são bastante óbvias.

  • Sliders projetados para uso externo
  • Feito de materiais duros
  • Sem volta

Enquanto os chinelos se ajustam ao pé, o deslizador é muito mais rígido em termos de materiais usados. O design principal do controle deslizante é proteger as solas dos pés ao pisar na areia quente ou fazer uma viagem rápida ao ar livre. Embora possam ser usados ​​para uso interno e muitas vezes estejam em muitas casas, eles são significativamente diferentes em comparação com os chinelos.

Confia também – Chinelo Havaianas Bandeira do Brasil o melhor em estilo e conforto.

Como escolher uma camiseta para formas de corpo individuais?

Especialistas em fitness listaram 5 tipos do corpo humano. Embora os nomes dos estilos masculino e feminino às vezes sejam diferentes, todos eles se baseiam nos mesmos critérios de avaliação. Vamos descobrir algumas dicas para escolher a roupa certa para cada tipo de corpo.

Trapézio para homens e ampulheta para mulheres

Ombros e peito ligeiramente mais largos que a cintura. Porque a parte superior e inferior do corpo são aproximadamente proporcionais, esta estrutura é muito mais fácil de encaixar em todos os estilos.

  • Dica profissional : uma camiseta justa dá a essa pessoa a melhor aparência.

 

Forma do corpo retangular

Ombros, cintura e quadris têm as mesmas proporções. Nesse caso, os quatro picos externos dos ombros e dos quadris formam um retângulo.

  • Dica profissional : uma camiseta com decote em V ajuda a quebrar as meias retangulares, deixando o corpo mais macio.

Forma do corpo oval

A parte superior do corpo tem uma forma oval, com o peito e o abdome mais largos que os ombros e os quadris.

  • Dica profissional : Evite listras horizontais, pois elas destacam a largura do corpo. Sua roupa deve acentuar o pescoço para desviar a atenção do abdômen. Itens de manga comprida também funcionam bem para enganar os olhos dos outros.

Forma do Corpo Triângulo Invertido

Os quadris e a cintura são muito mais estreitos que os ombros e o busto.

  • Dica profissional : uma camiseta com listras horizontais fará com que sua cintura e quadris pareçam mais largos, enquanto desvia os olhos dos outros do seu peito e ombros.

Forma do corpo triangular

Peito e ombros mais estreitos que os quadris. Portanto, o desafio é corrigir esse desequilíbrio.

  • Dica profissional : Evite tops listrados e camisetas polo, pois reduzem a largura dos ombros e apertam os quadris.

Confira a incrivel – Camisa de Time Barcelona que se adapta a qualquer tipo de corpo

 

Como escolher camisetas para roupas diferentes?

É fácil usar camisetas. Mas um item não é adequado para todos os casos. Aqui estão algumas idéias úteis para roupas diferentes.

Camisetas de gola redonda para estilo casual

A camiseta gola careca é um item simples de usar para todos. Dá uma aparência jovem e descontraída.

É mais adequado para pessoas com rostos longos ou ombros inclinados. O formato redondo da gola harmoniza um rosto estreito e comprido.

  • Nota : A gola deve abraçar o pescoço ou mostrar apenas uma pequena clavícula. Será um bom item se a gola não esticar depois de muitas lavagens.
  • Idéia de roupa : camisetas de gola careca combinadas com jeans.

 

Ambos entregam um visual casual. Esta combinação será perfeitamente finalizada com um par de tênis branco .

Camisetas com decote em V para um visual elegante

O decote em V permite que o usuário mostre sua figura. Este estilo é adequado para pessoas com rostos redondos e uma parte superior do corpo maior. Ele alonga naturalmente o pescoço e cria a ilusão de altura.

  • Nota : O ponto do V não deve estar abaixo da linha imaginária que liga o topo das axilas.
  • Ideia de roupa : decote em V e jaqueta.

 

Uma jaqueta de couro marrom é um complemento perfeito para uma camiseta com decote em V. A combinação com jeans e sapatos de camurça ajuda você a exalar uma aparência elegante.

Camiseta Henley para peitos musculosos

Henleys são ideais para caras que têm peitos bem musculosos. Eles também são adequados para usar em todas as estações.

  • Nota : Apertar um ou dois botões inferiores dá uma aparência mais elegante do que abrir todos eles.
  • Ideia de look : T-shirt e blazer Henley.

 

Você vai parecer educado em um henley de manga comprida e um blazer. A gola abotoada torna a roupa menos rígida do que um terno formal.

Você pode abotoar e usar sapatos sociais para eventos formais. Botões abertos combinados com um par de tênis branco dão a você uma roupa de estilo de rua.

Polo para roupa formal

As camisetas polo são indicadas para quem busca elegância e conforto. Você pode usá-los para trabalhar, em um encontro ou na escola. Este corte também mostra seus músculos.

  • Nota : Um evento formal exigirá que você coloque a bainha inferior da polo em suas calças.
  • Ideia de look : Polo e calça.

 

Não importa a cor da polo que você veste, a combinação com calça sempre dá um ar trendy. Vista-o com mocassins, blazer ou terno e lenço de bolso estampado para uma roupa de verão.

Camiseta sem mangas mostra braços tonificados

Uma camiseta sem mangas permite que você exiba seus músculos sem esforço. Este item é mais adequado para uma roupa de verão.

  • Nota : As camisetas com cores escuras combinam com tons de pele escuros. Pelo contrário, uma escolha de tons brilhantes funciona bem com a pele mais clara.
  • Ideia de look : T-shirt sem mangas e calças de cor escura.

 

Usar um par de calças jeans escuras chamará mais atenção para a parte superior do corpo. Esta combinação ajuda a destacar seus bíceps tonificados e peito musculoso.

Mangas para um visual descontraído

Uma camiseta de manga curta é um estilo especial em que seus ombros são cobertos completamente, mas seus bíceps são totalmente revelados. Eles vêm em cortes justos ou mangas mais soltas.

  • Nota : Nunca use essas coisas para um evento formal.
  • Idéia de roupa : camisetas de manga curta e meia calça curta.

Essa mistura oferece um visual esportivo e descontraído. É adequado para roupas de casa, academia ou praia.

Manga Longa Para o Fim do Verão

Uma camiseta de manga comprida cobre todos os seus braços, estendendo-se do ombro ao pulso. Possui uma ampla gama de usos no início e no final do verão.

  • Nota : As camisetas cinza, preta e marinho ajudarão a cobrir falhas nas áreas do peito e do abdômen.
  • Ideia de roupa : camisetas e camisa de manga comprida.

 

Essa roupa oferece um estilo neutro que é combinado, mas não muito formal ou casual.

Gráfico para inspirar jovens

As camisetas estampadas dos dois lados são itens indispensáveis ​​para os jovens. É cada vez mais amado por membros de todas as idades pelas imagens vibrantes e escritos inspiradores.

  • Nota : Você deve considerar um fornecedor confiável para padrões gráficos duradouros após muitas lavagens.

Talvez você também se interesse – Que roupa usar para treinar?

Como encontrar a melhor floricultura no Rio de Janeiro e fazer suas plantas durarem mais

Como encontrar a melhor floricultura no Rio de Janeiro e fazer suas plantas durarem mais

Opção é ideal para quem quer comprar os presentes online em uma floricultura de confiança no Rio de Janeiro.

Para encontrar uma boa floricultura no Rio de Janeiro, você nem precisa mais sair de casa. Existem boas opções de estabelecimentos com loja virtual, onde é possível escolher seu presente ou a flor que deseja ter em casa. Uma das buscas mais frequentes é encontrar um mimo ou presente ideal para uma pessoa querida.

Como encontrar a melhor floricultura no Rio de Janeiro e fazer suas plantas durarem mais

Pensando nisso, aqui estão algumas dicas que vão te ajudar a fazer a melhor compra online, além de possibilitar que suas plantas durem por mais tempo. Quem não quer poder admirar aquele buquê de rosas por um tempo bem maior, ou manter a planta escolhida com suas flores abertas em casa. Alguns truques podem fazer tudo isso acontecer.

Como encontrar a melhor floricultura online?

Para conseguir encontrar uma floricultura no Rio de Janeiro que atenda online, é preciso observar alguns detalhes. Todas as dicas abaixo servem para trazer confiança na compra e no recebimento, além de garantir um bom negócio. Consequentemente, você vai poder receber seus produtos com vistos no site de maneira rápida e confortável. Confira:

Variedade de produtos

Observe se a variedade de produtos e a atualização do site. Como mencionado anteriormente, as floriculturas atuais se destacam pela venda de objetos para presentes. Por isso, na hora de inovar, é sempre indicado mesclar artigos diferentes.

Como encontrar a melhor floricultura no Rio de Janeiro e fazer suas plantas durarem mais

Como encontrar a melhor floricultura no Rio de Janeiro e fazer suas plantas durarem mais

Você pode optar por um belo buquê de rosas, em uma embalagem diferente, dado junto a uma caixa de chocolates. Ou quem sabe, comprar uma orquídea única e oferecê-la com um belo café da manhã. O ideal é que todos os produtos sejam comprados no mesmo lugar.

Tempo de entrega

Estamos falando de flores, portanto, a velocidade de entrega é fundamental para compra online. Quanto mais rápido a flor chegar ao destino, melhor será o efeito do presente. As flores são vegetais delicados e que precisam se manter em um ambiente adequado para sobreviverem e permanecerem vistosas. Dê preferência à loja que entre em menos de 4 horas, por exemplo.

Atendimento

Teste o atendimento da floricultura e tire todas suas dúvidas. Caso o local nem possua canal de atendimento, é melhor partir para outra. Ainda mais em compras virtuais, o relacionamento com o cliente precisa demonstrar atenção e esclarecer qualquer questionamento.

Como encontrar a melhor floricultura no Rio de Janeiro e fazer suas plantas durarem mais

Dica para fazer suas flores compradas online durarem muito mais tempo

Depois de escolher a floricultura, é hora de aprender a fazer as flores e plantas durarem mais. Esta dica serve para plantas compradas em vasos ou flores destacadas, como as tradicionais rosas.

Como encontrar a melhor floricultura no Rio de Janeiro e fazer suas plantas durarem mais

Você vai precisar de borra de café, casca de ovo, água e liquidificador. Lave as cascas de dois ovos e coloque no liquidificador, depois misture uma colher de borra de café passado. Acrescente 1 litro de água e bata tudo até que a mistura fique homogênea. Para ter um resultado melhor, triture as cascas antes até que fiquem bem fininhas, como farinha.

Deixe o líquido descansar de um dia para o outro, coe e coloque em um borrifador. Basta acrescentar um pouco deste líquido no vaso onde a planta está sendo cultivada ou diretamente na água em que as rosas estão. Neste último caso, renove a água a cada três dias.

 

Continue lendo nosso site!

O que vale mais a pena: empréstimo ou financiamento?

O que vale mais a pena: empréstimo ou financiamento?

Empréstimo e financiamento são duas modalidades de crédito com vantagens e desvantagens diferentes. As duas, no entanto, podem ser recursos preciosos para os consumidores realizarem seus sonhos ou aliviarem sua situação financeira.

Neste artigo, você poderá entender quais as diferenças entre empréstimo e financiamento e em que situações cada um é mais indicado.

 

Empréstimo: entenda como funciona

O empréstimo pode funcionar de formas um pouco diferentes, mas o esquema básico é o mesmo: o consumidor solicita o empréstimo a uma instituição financeira e se compromete a pagá-lo em determinado prazo, com o acréscimo de juros.

No empréstimo não há necessidade de indicar a finalidade em que ele será utilizado. Algumas instituições podem até perguntar a finalidade do empréstimo, mas não há obrigatoriedade de usá-lo para um fim específico.

 

Quais as modalidades de empréstimo?

Os empréstimos podem ser classificados em algumas modalidades. A seguir te explicamos como funcionam as principais modalidades.

 

Empréstimo pessoal

O empréstimo pessoal é a forma mais simples de empréstimo. Nele, o consumidor não precisa dar garantias, nem precisa vincular o pagamento ao seu salário ou benefício. A instituição financeira, no entanto, faz uma análise de crédito do consumidor, em que são avaliados o histórico como pagador, as dívidas pendentes, o histórico como cliente da instituição (caso seja), a renda mensal, etc.

A partir da análise, o banco ou financeira pode determinar que opções de empréstimo tem para o consumidor e pode ou não liberar o crédito.

O empréstimo pessoal é de mais fácil liberação que outras formas de crédito. Por outro lado, ele costuma contar com taxa de juros mais alta e volume de crédito e prazo de pagamento menores. Isso se deve justamente à menor burocracia para acessar o empréstimo pessoal. 

 

Empréstimo consignado

No empréstimo consignado também não é necessário oferecer uma garantia. Por outro lado, ele é vinculado ao salário ou benefício do cliente, dos quais as parcelas são descontadas automaticamente.

Por conta disso, o empréstimo consignado é menos acessível, sendo oferecido principalmente para funcionários públicos, aposentados e pensionistas do INSS e trabalhadores com carteira assinada. Mas o empréstimo consignado tem a vantagem de apresentar taxas de juros mais baixas e volume de crédito e prazo de pagamento maiores.

 

Empréstimo com garantia

O empréstimo com garantia também é conhecido como refinanciamento. Isso já indica que seu funcionamento é parecido com os financiamentos.

No empréstimo com garantia, o consumidor oferece um bem de grande valor como garantia para a operação ser realizada. Normalmente, são oferecidos imóveis e veículos.

O empréstimo com garantia também conta taxa de juros menor e volume de crédito e prazo de pagamento maiores. Mas atenção: caso as parcelas não sejam pagas em dia, há o risco de se perder o bem para a instituição financeira.

 

Empréstimo online

A maioria dos empréstimos pode ser feita de forma online. No caso dos empréstimos com garantia, no entanto, uma parte do processo de contratação (a vistoria do bem) deve ser feita presencialmente.

O fato de ser feito online torna a contratação do empréstimo mais simples e menos burocrática. O consumidor pode acessar o serviço de casa, usando apenas um dispositivo eletrônico com internet.

 

E o financiamento, como funciona?

O financiamento é um tipo de crédito que também pode apresentar variações. A sua principal diferença para o empréstimo é a necessidade de indicar uma finalidade, com a qual o crédito deve obrigatoriamente ser usado.

 

As principais modalidades são: financiamento de veículo e financiamento de imóvel. A instituição credora faz uma avaliação das condições do bem e da situação financeira do potencial cliente, apresentando, então, propostas de financiamento.

Nessa modalidade de crédito as taxas costumam ser bastante baixas, e o volume de crédito é equivalente ao valor do bem em questão.

Enquanto as parcelas do financiamento estão sendo pagas, o bem é de propriedade da instituição financeira, mas o cliente pode usá-lo normalmente. Apenas após o pagamento de todas as parcelas é que a propriedade do bem passa para o nome do cliente. E, caso o financiamento não seja quitado regularmente, o banco ou financeira pode requisitar a desapropriação.

 

Afinal, qual a melhor opção: empréstimo ou financiamento?

O que define qual das duas opções é a mais adequada é a finalidade com que se usará o crédito. Se você deseja adquirir um bem de grande valor, especialmente um imóvel ou veículo, o mais indicado é o financiamento.

Se você deseja contratar crédito para pagar um curso universitário, por exemplo, o mais indicado é o financiamento estudantil. Para esses fins específicos, as instituições financeiras oferecem linhas de financiamento com condições muito favoráveis.

Por outro lado, se não há a pretensão de adquirir um bem específico, ou se o bem é de pequeno valor, o empréstimo é o mais indicado.

Mas qual tipo de empréstimo? Isso será definido de acordo com a urgência e o perfil financeiro do consumidor.

Se você possui um imóvel ou veículo em situação regular, o empréstimo com garantia é o mais indicado. Se é funcionário público, aposentado ou pensionista do INSS ou trabalhador com carteira assinada, o empréstimo consignado talvez seja a melhor opção. Já o empréstimo pessoal é indicado quando o consumidor não se encaixa nos casos acima e tem urgência de obter crédito.

 

Onde comparar online

Para achar o melhor empréstimo ou financiamento, os consumidores devem comparar as opções mais confiáveis disponíveis no mercado e escolher a que mais se encaixa nas suas necessidades.

Felizmente, hoje existem empresas que agilizam essa procura, através de simuladores de crédito. Trata-se de ferramentas que comparam automaticamente as principais opções de crédito, apresentam as condições de cada uma de forma detalhada e ainda podem ser usadas para iniciar a contratação.

O Juros Baixos, inclusive, disponibiliza um dos melhores simuladores de crédito do Brasil. Acesse agora mesmo e encontre o empréstimo ou financiamento perfeito para você.

O que são produtos químicos e que tipos existem?

Os produtos químicos ajudam a aumentar a expectativa de vida e melhorar as condições ambientais. No entanto, muitos desses produtos químicos presentes em todos os tipos de produtos de consumo diário são a principal fonte de contaminação. Neste blog vamos explicar o que exatamente são esses produtos químicos, como eles são divididos e quais tipos existem.

Veja também O que são produtos controlados?

O que são produtos químicos?

Quando falamos de produtos químicos nos referimos a esses componentes químicos produzidos por métodos químicos em laboratório ou industrialmente. Podem ser substâncias puras ou misturas de substâncias. Além disso, são considerados essenciais na sociedade, pois melhoram nossa qualidade de vida. No entanto, se não forem usados ​​corretamente, podem representar um risco à saúde.

Seus benefícios seriam, por exemplo, o uso de medicamentos para controlar doenças, aumentar a produção de alimentos na agricultura, desenvolver melhores combustíveis e até mesmo criar novos materiais para uso em transporte, vestuário e equipamentos eletrônicos.

Esses produtos são apresentados em diferentes graus de pureza, que se referem à proporção de uma substância específica na mistura total de substâncias. Graças a esta pureza, pode ser feita uma distinção clara entre produtos químicos técnicos (grau de baixa pureza) e produtos químicos finos (grau de alta pureza).

Na maioria dos casos, os produtos químicos se decompõem rapidamente no ambiente. No entanto, outros são liberados em altas concentrações, se decompõem lentamente e permanecem no ambiente por anos ou até décadas, mesmo que sejam quantidades relativamente pequenas. Esses tipos de substâncias são chamadas de persistentes.

Como eles são divididos?

Os produtos químicos podem ser divididos em:

Produtos químicos orgânicos

A química orgânica engloba todos os compostos que contêm carbono, hidrocarbonetos aromáticos, álcoois, cetonas, alcenos, aminas, sulfatos, fosfatos, etc.

Produtos químicos inorgânicos

Química ou matéria inorgânica refere-se ao resto dos elementos da tabela periódica e seus compostos. Estes incluem ácidos e bases, como ácido sulfúrico e amônia.

Que tipos de produtos químicos existem?

Existe uma grande variedade de produtos químicos para uso diário em casa. Seu uso e consumo devem ser conscientes e razoáveis. Especialmente, é necessário levar mais em consideração aqueles produtos que contêm substâncias corrosivas, reativas, tóxicas, explosivas ou inflamáveis ​​e aqueles que podem se tornar resíduos perigosos. Desta forma, espera-se prevenir riscos à saúde e ao meio ambiente. Aqui está uma breve descrição dos diferentes tipos de produtos:

Explosivos

São as substâncias e preparações que podem reagir exotermicamente, mesmo na ausência de oxigênio do ar. Ou seja, é quando as substâncias químicas têm a capacidade de liberar instantaneamente gás, vapor e calor, causados ​​por um choque súbito, pressão ou alta temperatura. E isso causa a violenta expansão dos gases.

Inflamável

Ocorre quando sua ignição, ou seja, seu início de combustão é mais rápido. Alguns exemplos são: gasolina, hexano, acetona, diesel, etc.

Oxidante

São aqueles compostos que causam ou promovem a combustão. Para que isso aconteça, ele deve ser combinado com um combustível sob certas condições de pressão e temperatura. Por exemplo: Oxigênio (O2), Halogênios, Ozônio (O3), etc.

Como escolher o tamanho correto para sua bicicleta?

Em uma bicicleta, qualquer que seja sua idade, sexo, nível, objetivos ou prática, há uma constante, senão universal, pelo menos compartilhada pela maioria dos ciclistas: a busca do prazer de pedalar otimizado. Isso requer conforto, mas também um certo desempenho e portanto, um certo nível de desempenho (não necessariamente esportivo). Obviamente, a verdade não é universal, mas sempre começa com a escolha de uma bicicleta para o seu tamanho.

A escolha de uma bicicleta obviamente depende da prática a que se destina. Também depende do seu nível, das suas ambições e, digamos, dos seus desejos. Portanto, não estamos comprando uma bicicleta de cidade para passeios ultra distantes, ou uma bicicleta de trilha para ciclocross!

Certamente vimos bicicletas urbanas em Paris-Brest-Paris e bicicletas de pista em circuitos de ciclocross … Mas a sua presença é mais anedota, folclore ou apenas ‘uma aposta perdida, apenas uma realidade séria. Por isso é importante escolher uma bicicleta adequada. Uma bicicleta capaz de garantir um certo conforto de utilização. Uma bicicleta para otimizar o seu rendimento ou, pelo menos, para garantir uma pedalada de qualidade, para uma velocidade média de acordo com as suas possibilidades. Uma boa postagem. A bicicleta certa para você.

Existe uma verdade na escultura? Existe algum tipo de teorema capaz de determinar as dimensões corretas para o quadro de uma bicicleta, como escolher calças ou uma jaqueta, dependendo de sua idade, tamanho ou físico?

As fórmulas existem, mas a verdade é bastante relativa. É até pessoal, até porque se trata de compromisso e valorização … Mas dificilmente pensamos nisso, antes de termos que enfrentar desequilíbrios, tensões, reações compensatórias do corpo e, às vezes, com dores que podem ser muito agudas (principalmente às nível das costas, pescoço, pernas, braços ou ombros).

Veja também o melhor seguro de bike para você proteger a sua bicicleta.

A questão da ergonomia

Não há segredo, estar bem posicionado na bicicleta é, acima de tudo, evitar muitas dores, ao mesmo tempo que melhora o desempenho. Os conceitos ergonômicos são imediatamente colocados em prática. A ergonomia é uma ciência em si. Portanto, é por natureza que você busca o máximo de precisão possível. Para atingir seus objetivos, ele deve lidar com o jogo da mecânica.

Deve-se levar em consideração o fato de que o movimento dos segmentos ósseos e articulações do ciclista, durante a pedalada, é limitado por cinco “obstáculos”. ”Essencial: ambos os pés (pressionando os pedais); a pelve (apoiada na sela); e ambas as mãos (segurando o cabide em vários lugares). Conforto e desempenho dependem desses cinco pontos de suporte em constante mudança.

As medidas corporais também estão ligadas à “história pessoal” (quedas, operações cirúrgicas, lesões, posição e gesto de trabalho, etc.) de cada usuário, bem como às especificidades naturais (flexibilidade, peso, sexo, resistência ao calor. ..) do mesmo usuário. E então o estado da forma está constantemente em ação. Uma verdade só é verdadeira em um determinado momento, em um determinado ambiente. O que é verdade agora provavelmente não será verdade em alguns minutos, algumas horas ou alguns dias. Na verdade, exatamente a mesma coisa nunca mais acontecerá!

E então falamos de pontos de apoio … Mais exatamente, estamos falando de superfícies de apoio. Na verdade, o corpo do ciclista, com suas imperfeições, é “vestido” para o esforço, com interfaces (calçados, shorts, calças, luvas, etc.) que mudam de acordo com os ciclos de pedalada e a aplicação de forças múltiplas.

Questão de prática

O papel determinante do ergonomista (muitas vezes um amigo que tem algum conhecimento de mecânica, um sócio do clube, etc.) é otimizar a pedalada, superar desequilíbrios no corpo (ou seja, no desequilíbrio de forças), harmonizar todos os movimentos da atividade de ciclismo. Isso é tanto mais verdade quanto hoje, a escolha da bicicleta é feita principalmente por meio de revendedores de produtos industriais. E esses revendedores devem fornecer uma série de dicas personalizadas ou customizáveis.

Uma bicicleta muito pequena ou muito grande (mesmo uma ou duas polegadas) não proporcionará o mesmo prazer, desempenho ou conforto que uma bicicleta do seu tamanho. E de uma prática para outra, teremos que nos adaptar. Como? O que? Da Caixa. Porque tudo começa na moldura.

Mais do que a moldura, é o triângulo principal (tubo do assento para altura, “horizontal” ou “tubo superior” para comprimento e tubo inferior para garantir a rigidez) da referida moldura, que determinará o tamanho dos periféricos (manivelas, guiador , haste ou espigão do selim). Mas, já deves ter reparado que, para certas práticas (nomeadamente urbanas), o quadro não é um simples triângulo (em particular para as chamadas bicicletas “senhora”, para bicicletas dobráveis ​​ou para bicicletas de carga. Nesse caso, será necessário contar com a altura do selim e a distância entre a ponta do selim e o guiador (na extremidade do espelho).

O quadro precisa ser adaptado à morfologia de seu usuário … Isso não significa muito. Vamos ver como encontrar o quadro certo, principalmente quando não há referência prévia. Nesse caso, é perfeitamente possível, senão desejável, avançar para um estudo postural. Este estudo permite estabelecer as dimensões ideais de uma bicicleta, de acordo com o físico da pessoa (ou da pessoa) que a usará. E ao contrário do que se possa pensar, esta solução não está reservada às pinturas à medida …

Mais do que isso será visto em uma rota vélo, taillé para o desempenho, será pas vrai para um vélo de ville ou para um VTT.

A altura correta

Desde que a bicicleta existiu (quase 150 anos), simples técnicos, cientistas e observadores, cheios de ideias, desenvolveram uma série de fórmulas (mágicas?) Para determinar o tamanho correto do quadro. Essas fórmulas partem do comprimento da costura interna (sem sapatos, encostado na parede, pernas ligeiramente afastadas, deve-se medir a altura do períneo), pois é a altura do tubo do selim (do suporte inferior até a parte inferior do espigão do selim) que determina o tamanho da bicicleta. As pinturas clássicas são “quadradas”, a altura é igual ao comprimento.

Para uma bicicleta de estrada, a fórmula válida é: comprimento da virilha (em cm) X 0,66 = tamanho ideal da bicicleta (em cm).

Para uma mountain bike, a fórmula correta seria: comprimento da virilha (em cm) X 0,59 = tamanho ideal da bicicleta (em cm).

Mas tenha cuidado, o tamanho de uma moldura nem sempre é expresso em cm. Pode ser em polegadas. Também pode ser expresso com letras (XS; S; M; L; XL; XXL …). Com um “tubo superior” em declínio, os códigos mudaram. Além disso, com as armações de carbono, os fabricantes industriais reduzem o número de moldes necessários para atender a 95% das demandas. No entanto, esses tamanhos variam de acordo com o fabricante …

O comprimento correto

Se a altura de um quadro é muito importante, especialmente para pedalar, também é (especialmente?) Importante prestar atenção especial ao comprimento do próprio quadro. Na verdade, é desse parâmetro que o conforto do piloto depende, especialmente em esforços prolongados.

Para calcular esse comprimento ideal, levando em consideração a morfologia de cada pessoa, você deve medir a parte superior do corpo; Para isso, é importante determinar a relação virilha (EJ) / cintura (T). Este cálculo permite que você determine a proporção correta de altura / comprimento para sua bicicleta.

Exemplo. Se EJ / T = 0,48, então comprimento = altura + 1 cm. Se EJ / T <0,48, então comprimento <altura + 1 cm; e se EJ / T> 0,48, então comprimento> altura + 1 cm.

Novamente, os fabricantes não adotaram regras que tornem as coisas muito mais fáceis. E a tradicional moldura “quadrada” já não é realmente a norma hoje, principalmente quanto à multiplicação de práticas (estrada, mountain bike, pedregulho …) e tipos de bicicletas (suspensas ou não, rígidas …) ou dos materiais utilizados tornar as coisas ainda mais complicadas.

Abaixo estão algumas tabelas puramente indicativas, baseadas em médias (pode haver grandes diferenças de um indivíduo para outro, enquanto o tamanho da mesa não será o mesmo para um homem e uma mulher da mesma construção) dependendo do tamanho e de cada tipo de bicicleta no mercado. Cuidado, se você estiver andando entre dois tamanhos, não demore, pegue sempre o menor, se a sua bicicleta for bastante esportiva … E o maior se você for mais contemplativo.

Tenha em mente, finalmente, que o mesmo tamanho de quadro funcionará igualmente bem com rodas de 26 “, 27,5” ou 29 “(para MTB); ou com rodas 650 ou 700 (para estrada) ou com rodas de 20” ou 24 “. ( para bicicletas dobráveis). Mas se você tiver menos de 1,60 m, prefira rodas menores. Sua bicicleta será mais gerenciável. Rodas maiores acima de 1,60 m resultarão em uma bicicleta mais estável. Quanto maior a distância entre eixos, mais estável será a bicicleta, mas menos manobrável é.

Transtorno de personalidade: quais são os sintomas e tratamentos

Transtorno de personalidade: quais são os sintomas e tratamentos

Transtorno de personalidade: quais são os sintomas e tratamentos

Atualmente é muito ampla a lista de transtornos diagnosticados, outros já são bem conhecidos pela sociedade, como a ansiedade, depressão, bipolaridade. Outros têm aparecido como novidade, através de estudos e pesquisas como os transtornos  de personalidade e  a fim de atender da melhor maneira os pacientes, trazendo bons resultados e estabilidade, são criadas, desenvolvidas e aplicadas diversas linhas de atendimento.

 

A área da psicologia se mostra cada vez mais em crescimento. Seja pelos estudos realizados e descobertas surpreendentes ou pelas linhas de segmento que se criam para tratar o paciente de maneira adequada de acordo com cada transtorno. Considerado uma “máquina” surpreendente, o cérebro ainda vem sendo pesquisado e é impossível acreditar que apenas um segmento consiga tratar tantas áreas na parte da psique. Com isso, aumenta o número de possibilidades de atendimento para o terapeuta, que deverá previamente ter sua formação correta na área da psicologia e aumentar seu currículo com especializações focadas em áreas específicas.

Transtorno de personalidade: quais são os sintomas e tratamentos

Quais os transtornos de personalidade são mais comuns?

Há um transtorno que carrega consigo uma lista de ramificações, o transtorno de personalidade. Como dito previamente, para o  tratamento do mesmo, é necessário uma formação acadêmica superior na área da psicologia e uma especialização com curso de transtorno de personalidade para entender a fundo do que se trata, qual melhor abordagem e tratamentos.

 

Dentro dessa lista que está inclusa nesse transtorno, será exposto os mais comuns, como o transtorno de personalidade paranoide, onde o paciente tem a tendência a desconfiar dos outros, acreditar que está sendo enganado por todos e assim acaba sendo hostil ou não tendo apego emocional com outras pessoas.

 

Outro assunto muito comentado atualmente, é o transtorno de personalidade borderline, onde é latente o medo do abandono, fazendo com que os relacionamentos sejam intensos e instáveis, com reações explosivas e atitudes auto destrutivas.

Quais são os tratamentos para os transtornos de personalidade?

Inicialmente se faz necessário o diagnóstico correto com uma consulta ao psicólogo ou psicoterapeuta, onde é feita uma avaliação mental pelo especialista, que analisará os sintomas, a gravidade, e até o histórico médico e familiar. Amigos e familiares são, em sua maioria, peça fundamental para colaboração do diagnóstico já que os mesmos acabam percebendo algumas atitudes que fogem da normalidade.

 

Em geral, o médico avalia de que maneira a pessoa se enxerga, como se relaciona e qual sua percepção de mundo. O mesmo poderá inclusive direcionar o paciente para outro profissional que esteja mais habituado ao transtorno específico e que tenha mais habilidades naquela área. A terapia, ou a psicoterapia, são indicados nesses tratamentos podendo ser tanto em atendimento individual como em grupos. Isso varia de acordo com a necessidade do paciente e as abordagens aplicadas. 

 

Os transtornos de personalidade podem ser diagnosticados por profissionais como os clínicos gerais (que encaminharão para os especialistas na área para tratamento adequado), neurologistas que tomarão o mesmo posicionamento dos clínicos e os psiquiatras e psicólogos que determinarão qual será o próximo passo. Em alguns casos, o tratamento precisa ser auxiliado com o uso de medicações específicas que serão receitadas da maneira correta por um profissional da área.

 

Continue lendo nosso site!