O que é offshore?

Quanto maior a carga fiscal existente em certos países, maior é o interesse de empresas e pessoas físicas em fazer investimentos no exterior, atraídos por inúmeros fatores, tais como: moedas fortes, estabilidade econômica e política, isenções fiscais ou impostos reduzidos sobre os rendimentos, segurança, sigilo e privacidade nos negócios, liberdade de câmbio, economia de custos administrativos e eventual acesso a determinados tipos de financiamento internacional, a juros baixos.

OffShore

Offshore, palavra cujo significado em inglês é “afastado da costa”, é um termo utilizado para se referir a contas bancárias ou empresas abertas no exterior, geralmente em paraísos fiscais, onde os titulares buscam melhores condições em relação ao seu país de origem, como isenção de impostos e sigilo fiscal.

Brasília – Offshore, palavra cujo significado em inglês é “afastado da costa“, é um termo utilizado para se referir a contas bancárias ou empresas abertas no exterior, geralmente em paraísos fiscais, onde os titulares buscam melhores condições em relação ao seu país de origem, como isenção de impostos e sigilo fiscal.

Segundo informações disponibilizadas no site Sociedade Internacional, especializado em abrir empresas e contas no exterior, custo para abrir uma offshore pode girar entre US$ 2.500 e US$ 3.000, sem contar as taxas de legalização junto ao consulado brasileiro.

Livro

No livro, Pimenta enumera alguns dos exemplos contados pelo economista João Pedro Martins na obra Suite 605, na qual este autor refere (em 2011) que dois homens da freguesia de S. Pedro geriam 868 empresas sem qualquer remuneração pelo desempenho do cargo” ou quando Martins refere a existência de empresas criadas especificamente para manipular os preços de transferên­cia e funcionarem como ‘porta de entrada’ no mercado europeu, transferindo os custos para os países de maior tributação e deixando os lucros na Madeira” para beneficiarem das vantagens fiscais do centro de negócios.

Offshore são empresas criadas no exterior, de preferência em paraisos fiscais no Caribe e alguns outros países no mundo, para ter a oportunidade de manter ativos ( inclusive ) dinheiro no exterior sem pagar ao fisco brasileiro.

Na contramão, desde final dos anos 80 há uma preocupação mundial com estes crimes tidos como fiscais, mas que tem uma raiz muito mais profunda, pois dinheiro enviado a estes paraísos são fruto do tráfico de drogas e humano, terrorismo, entre outros, daí objetivo de estabelecer acordos internacionais de cooperação (tendo a Suíça como a mais recente signatária de alguns acordos de cooperação de troca de informações), más, enquanto houver países em que seus governos e governantes lucrem com a instalação destas empresas e contas omissas em seu território, creio que nada muda.

Através de empresas e contas offshore é possível ter acesso à legislação amigável desses países, com os baixos tributos para operações financeiras, pagamentos e recebimentos em moeda estrangeira com baixos custos, isenções, segurança, sigilo e acesso facilitado ao mercado financeiro global. No entanto, muitos paraísos fiscais trabalham com empresas de fachada e sob sistema de “trust”, que facilitam a dissimulação da real titularidade de contas e empresas offshore, favorecendo operações ilegais, como a lavagem de dinheiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *