O que é Marketing Digital e Como Funciona?

Marketing, como o próprio nome sugere, é a comunicação da marca. Portanto, para saber o que é o Marketing Digital e como ele funciona, basta transferir a definição para o campo digital, e dizer que o Marketing Digital engloba técnicas ou estratégias de comunicação de marca que acontecem por meio de canais digitais. Tendo em conta que falamos sempre de um conjunto de técnicas ou estratégias, ao serviço da empresa, para competir em mercados cada vez mais saturados, por novos nichos de consumo.

Marketing em geral

Deixando de lado por um momento se é online ou offline, o Marketing serve para vender: produtos, serviços, causas e pessoas (se somos representantes de alguém ou trabalhamos com imagem pessoal, por exemplo). Isso do ponto de vista da empresa.

Considerando que, do ponto de vista do cliente – sejam eles clientes atuais ou potenciais –, eles compram marcas que satisfazem um benefício funcional, um benefício emocional ou um benefício aspiracional.

Da mesma forma, o Marketing utiliza uma série de disciplinas complementares para apoiar e implementar técnicas cada vez mais refinadas e eficazes na hora de posicionar a imagem da marca na mente do consumidor, bem como estabelecer uma conexão emocional entre as duas.

Estamos falando de técnicas como as derivadas do Neuromarketing , segundo as quais a mente humana tende a pensamentos duplos (preto ou branco, quente ou frio, muito ou pouco, gato ou cachorro, Coca-Cola ou Pepsi, etc.) . Razão pela qual, algumas marcas poderosas e bem posicionadas apontam para outra para atuar como seu oponente na mente do consumidor. Já que, antes de uma provável dupla eleição, os vencedores são conhecidos.

Você pode melhorar as suas vendas com uma agencia de performance, melhorando o seu marketing e as suas estratégias o mundo digital ficará pequeno para você.

O que o Marketing Digital abrange

O marketing levado para o campo digital é mais eficaz em alguns aspectos, então, a seguir, veremos o que é o Marketing Digital e quais são seus benefícios específicos.

O Marketing Digital é a aplicação das estratégias de comunicação da marca nos meios digitais. Entre seus muitos benefícios, vale destacar:

  • Transparência na comunicação com o consumidor – Não é mais uma comunicação de mão única. Ao contrário, para construir o que se chama de ‘Brand equity’, a marca fala com o consumidor, mas também pensa com ele e gera conversas positivas ao seu redor.
  • A precisão do alvo – Diferentemente da mídia tradicional, no campo digital, as mensagens não precisam ser dirigidas a um grande público indiferenciado. Podemos abordar segmentos específicos com mensagens personalizadas com base em seus gostos e necessidades, com maior impacto e eficácia.
  • Obtenção de resultados mensuráveis​​ – Esta é uma parte fundamental do que é Marketing Digital, e funciona graças a ferramentas analíticas e KPIs. Com eles, você pode monitorar as métricas ao longo de todo o processo, bem como realizar otimizações.
  • Imediatismo – As campanhas digitais permitem-nos monitorizar os resultados em tempo real, novamente em benefício da otimização.
  • A oportunidade de alcance global – Neste ponto nos referimos à oportunidade de alcançar pessoas em qualquer lugar do mundo.

Possíveis ambientes de contato e marketing

Os possíveis ambientes de contato e comercialização que o Marketing Digital engloba não são estabelecidos pela transação que ocorre, mas pelos canais que são utilizados e pelo tipo de relacionamento que existe entre as partes.

Dependendo do tipo de relacionamento, podemos distinguir entre os seguintes modelos:

  • B2B: Business to Business
    • Uma empresa negocia com outra empresa
    • Uma empresa que comercializa com uma Instituição
    • Uma ONG que administra doações com empresas
    • Um profissional que oferece seus serviços para uma empresa
  • B2C: Empresa para Consumidor
    • Uma empresa comercializa com o consumidor final
    • Uma Instituição que se dirige a usuários (ou cidadãos)
    • Uma ONG que visa doadores privados
  • B2B2C: Business to Business to Consumer
    • Uma empresa comercializa com outra empresa, de modo que esta, por sua vez, comercializa com o consumidor final -> Existe um intermediário.
    • Um profissional é contratado por uma empresa e presta serviços ao cliente final (de seu cliente)

Plano de Marketing Digital

O Plano de Marketing Digital inclui a estratégia digital a seguir pela empresa, bem como um conjunto de objetivos segundo os quais determinar o seu bom funcionamento ou, em caso negativo, implementar as medidas de otimização necessárias.

Objetivos e estratégias

O Plano de Marketing pode seguir as alternativas e objetivos estratégicos que listamos abaixo:

  • Impacto – Construa e amplie o reconhecimento e a visibilidade da marca. E gere visitas ou conversões.
  • Investigue – Conheça as necessidades, os benefícios buscados, etc. E detectar e avaliar possíveis insatisfações de usuários e clientes (gestão de reputação).
  • Economize – Reduzindo custos de serviços, substituindo ações de marketing e otimizando custos de campanha.
  • Vender – Através de vendas diretas (e-Commerce), vendas por canais (marketplaces). Ou obtenha contactos (inscrições, reservas, etc.).
  • Servir – Melhorar a atenção na pré-venda, venda e pós-venda. Além de estabelecer um relacionamento com o cliente para reter e obter engajamento.

Esses objetivos podem ser alcançados através de 3 estratégias sequenciais :

  1. Recrutamento – Para se dar a conhecer e gerar interesse
  2. A Conversão– Obter resultados de acordo com os objetivos estabelecidos
  3. Fidelização– Repita os resultados em clientes anteriores, e que se tornem prescritores da sua marca.

Áreas, plataformas e suportes

Em seguida, devemos estabelecer uma abordagem estratégica que nos permita colocar o plano dentro das 5 áreas do Marketing Digital:

  1. Motores de busca(SEO; SEM)
  2. E-mail
  3. Prescrição(mídia; sites; diretórios e aplicativos; blogueiros)
  4. Publicidade(exibição; vídeo; remarketing; afiliação)
  5. Redes sociais(publicidade em RRSS, fóruns, outros sites)

Desta forma, utilizaremos motores de busca e e-mail quando necessitarmos de uma segmentação maior, por exemplo, para mercados locais ou profissionais B2B. Em vez disso, recorreremos à publicidade e às redes sociais para estratégias que exijam maior alcance, ao visar mercados amplos ou globais, do tipo B2C ou B2B2C.

E, por fim, colocaremos esse foco estratégico nas diferentes plataformas e mídias .

  • Para obter Leads; em sites, landing pages, blogs e web móvel.
  • Já para vendas iremos para lojas virtuais, microsites, códigos e marketplaces.
  • Para obter alcance e referências: anúncios, ações com a imprensa, cobertura e colaborações e links.
  • E para engajamento: conteúdo em sites próprios, dinâmicas de participantes, publicidade social, grupos e fóruns.

Estas são as coisas que você aprenderá no coworking

O coworking com Endereço fiscal no Brasil pela maioria das pessoas está associado à liberdade profissional. Ensina gestão de tempo e projetos. 

Mas não só isso. Há também uma série de outras habilidades importantes que você pode aprender enquanto trabalha em um espaço de coworking.

Tomando decisões 

Selecionar um espaço de escritório para alugar é a primeira decisão que você deve tomar. Qual espaço vai ser o melhor um centro ou na periferia, moderno ou mais discreto? Já no início você terá uma lição de liderança, mas um bom treinamento é sempre bem-vindo. 

Ao lidar com seu próprio negócio ou lidar com um projeto internacional durante o coworking, tomar decisões difíceis não será mais um problema para você.

Organização do trabalho 

Coworking com endereço fiscal em Sorocaba ensina bons hábitos. Isso inclui, por exemplo, gerenciar o próprio tempo e projetos. Você determina o que é urgente e qual tarefa pode esperar. Você define prioridades e trabalha de acordo com uma lista ou modelo preparado. 

Essa organização de trabalho certamente impactará sua eficiência e ensinará consistência.

Eficiência 

Pesquisas do portal Deskmag mostram que 85% das pessoas que trabalham em espaços de coworking estão mais motivadas e 42% delas relataram aumento de renda. 

Esta é principalmente a prova do aumento da eficiência entre as pessoas que decidiram alugar um escritório no Brasil. Por que é tão? No coworking, você se concentra mais na execução de tarefas e, graças a isso, otimiza o trabalho. Simples?

Esforçando-se para o objetivo

Coworking no Brasil ensina independência. Alcançar o sucesso depende de você. 

É por isso que você se concentra no trabalho, não inventa desculpas para fazer outra coisa e se esforça ambiciosamente para atingir a meta.

Ainda não definiu seus objetivos? Não se preocupe. Trabalhando em um espaço de coworking com endereço fiscal em Jundiaí, você encontra pessoas de diferentes ambientes profissionais e, graças a isso, pode se olhar de uma perspectiva diferente. 

Talvez aqui você veja se a carreira empreendida está certa ou simplesmente vai aprender o que é mais satisfatório para você.

Estabelecendo contatos

Trabalhar em um espaço de coworking permite construir uma comunidade de negócios. Você tem uma mesa e um projeto que precisa ser executado ótimo, mas com certeza você também quer se desenvolver ou desenvolver o negócio. 

Assim como 50% das pessoas que trabalham em coworking no Brasil. Portanto, não tenha medo de conversar com outras pessoas e construir sua rede de contatos.

Um escritório de coworking com endereço fiscal em Campinas para empresas inclui pessoas com várias formações, provenientes de diferentes áreas e até de diferentes partes do mundo. Essa diversidade resulta em que você pode observar os outros e estabelecer novos relacionamentos. 

Conosco, você pode aprender a lidar com negociações comerciais e até mesmo negociar as condições de cooperação. Você está interessado?

O princípio do equilíbrio entre vida profissional 

Ao trabalhar em um grande projeto nos prédios de escritórios no Brasil e descobrir o ambiente internacional, você muda os padrões de trabalho. Você vê como os outros abordam seus deveres e verifica sua própria abordagem. 

Com certeza será mais fácil para você cuidar do seu equilíbrio entre vida profissional e pessoal, ou seja, o equilíbrio entre sua vida privada e profissional. Afinal, se você trabalha em termos de seu próprio negócio, é você quem decide quando e onde lida com suas responsabilidades.

Como escolher o software certo

Como escolher o software certo de gerenciamento de recepção de condomínio

Que saber como escolher o software de gestão de condomínios certo para você?

A popularidade dos condomínios só cresce devido às vantagens que eles têm sobre as casas familiares convencionais. De um ambiente mais comunitário aos vários serviços que um condomínio pode oferecer, compradores e locatários parecem não ter o suficiente! 

Com tantas coisas diferentes para acompanhar, você pode querer considerar um software de gerenciamento de recepção. 

Manter um calendário mestre digital para funcionários e residentes

A simplificação do gerenciamento de apartamentos começa com o acesso a todos os seus dados importantes em um só lugar. Quando se trata de dados, nada é mais importante do que a programação de suas instalações. A maioria dos programas vem com um calendário básico.

Este calendário permitirá que seus funcionários publiquem e editem os eventos de sua propriedade. Isso permitirá que você acompanhe a manutenção em andamento, além de manter a equipe informada sobre os próximos eventos. Os eventos geralmente podem ser editados e as alterações serão visíveis para todos os funcionários.

Sua instalação tem comodidades? Se este for o caso, certifique-se de ficar de olho no software que possui recursos de reserva! 

 

Além disso, os portais residenciais geralmente têm recursos de calendário comunitário. Com o calendário da comunidade, você pode publicar uma programação de vários eventos que acontecem na comunidade. Isso pode incluir churrascos, festas de aniversário e muito mais!

Bancos de dados digitais de fácil acesso e atualização

O benefício mais óbvio do software de gerenciamento é acompanhar seus residentes. O software de recepção permitirá que você crie e gerencie perfis individuais para cada departamento. Alguns softwares permitem que você atribua diferentes entradas do seu banco de dados a esses perfis. Isso pode ser qualquer coisa, desde violações de estacionamento até cópias de contratos de aluguel. 

 

Quem pode acessar esses arquivos pode ser definido usando controles de acesso. Ao usar controles de acesso, você pode proteger as informações pessoais de seus locatários.

Você poderá atribuir vagas de estacionamento e depósito de bagagem para os residentes. 

 

A papelada não é apenas um incômodo; também pode aumentar sua sobrecarga. Felizmente, o software de gerenciamento pode digitalizar sua burocracia! A maioria dos programas terá a capacidade de armazenar documentos padrão, bem como criar várias formas de documentos. Formulários e relatórios são geralmente gerados automaticamente. Você também pode automatizar o envio de recibos aos moradores.

Torne-se totalmente digital com gerenciamento de propriedade virtual

Você sabia que a combinação certa de software de gerenciamento de recepção e hardware certo pode tornar seu gerenciamento de propriedade completamente virtual?

No entanto, nem todo software é capaz disso. Apenas algumas marcas de software de gerenciamento de recepção oferecem suporte ao gerenciamento de propriedade virtual.

Seja por meio de um quiosque instalado em seu saguão ou pela câmera do telefone do seu cliente, o software de gerenciamento virtual permitirá que você ainda se comunique cara a cara com os moradores. Muitas vezes, o software também possui os mesmos recursos dos programas de call center, permitindo que você enfileira e transfira chamadas conforme necessário.

 

Se você trabalha com uma empresa de segurança, também pode conversar com eles sobre serviços de concierge virtual. Alguns softwares de gerenciamento de recepção oferecem suporte a concierge virtual por padrão. Esses serviços permitem que você se comunique cara a cara mesmo à noite. Mover alguns cargos administrativos para um escritório remoto pode ajudar a reduzir seus resultados. Pense desta forma: se você tem uma equipe administrativa dedicada que atende seu imóvel remotamente, seu gerente de recepção terá mais tempo para atender às necessidades de seus moradores!

Encontrando o software de gerenciamento 

Os benefícios proporcionados pelo software de gestão de propriedades são inúmeros. Você não apenas pode otimizar seu trabalho para reduzir a sobrecarga, mas também pode mudar algumas posições para um escritório remoto para economizar ainda mais dinheiro!

Embora existam muitas opções de gestão de condomínio de recepção no mercado, apenas algumas delas possuem todos os principais recursos descritos acima em um único pacote.

 

google ads

Como criar uma campanha de anúncios do Google para superar seus concorrentes

O marketing digital a cada dia se torna mais a fonte de investimento das empresas. Empresas investem pesado em Consultorias SEO, Agências de Link Building e Compra de Backlinks para posicionar sites no Google organicamente, em mídia paga (Google Ads e Facebook Ads) e em mídias Sociais. Mas você não precisa pagar mais para vencer a concorrência. Você só precisa das estratégias certas para criar uma campanha de anúncios do Google que deixe você vender mais e pagar menos.

Esteja você procurando desde vender acessórios para animais de estimação até produtos SaaS, os anúncios pay-per-click são uma das maneiras mais eficazes de atingir seu público-alvo.

Seus concorrentes também estão pagando – e podem ter orçamentos muito maiores. Ou, eles podem ter uma marca mais forte, para começar, facilitando a obtenção de clientes por meio de anúncios pagos.

Este artigo fornecerá o que você precisa saber para criar uma campanha bem-sucedida do Google Ads que se destaque e ajude a superar seus concorrentes,

O ROI médio dos anunciantes do Google é de R$ 2,00 em receita para cada R$ 1,00 de gasto. É o suficiente para experimentar os anúncios do Google?

Embora altamente eficazes, o Google Ads também é uma das áreas mais complexas do marketing digital, como qualquer profissional de marketing de PPC pode lhe confirmar.

As listas de palavras-chave podem ser longas, existem dezenas de opções de segmentação e campanhas erradas podem desperdiçar milhares de reais preciosos.

Além disso, sua empresa não é a única que está pagando para alcançar os clientes.

 

Descobrir quem é realmente a sua concorrência

Com muita frequência, as marcas fazem suposições sobre com quem estão competindo.

Às vezes isso é emocional – por exemplo, você quer ter mais sucesso do que alguém que começou na mesma época que você ou se formou na mesma faculdade. Outras vezes, as marcas apenas assumem que os nomes que mais ouvem são seus maiores concorrentes.

Mas, pode haver alguns que você não considerou.

Para descobrir quem realmente é a sua concorrência, o primeiro passo é uma boa e antiga pesquisa no Google sobre as principais palavras-chave relacionadas ao seu setor.

Digamos que você gerencie uma loja online que vende suprimentos para animais de estimação (Petshop).

Neste caso, a competição é somente nos resultados orgânicos e Google meu negócio, que mostra a empresa loja animal em destaque.

Esse é um termo-chave bastante amplo, no entanto. Vejamos os resultados de um item específico, como uma coleira de cachorro:

cachorros

Agora ao lado direito existem vários anunciantes vendendo este produto.

Petlove está no topo dos resultados orgânicos. Nos anúncios patrocinados encontramos Zee Dog, Petlove, Cobasi e Dogopets.

Todos eles são concorrentes e se você possui uma empresa pequena e em crescimento provavelmente não conseguirá competir com eles em volume de verba disponível para investimento.

Você precisará fazer uma chamada estratégica aqui – talvez você não faça lances para os principais termos da coleira, mas faça lances para termos nos quais você pode classificar e, em seguida, use seu site para aumentar as conversões nas coleiras.

Tudo depende dos seu negócio, é claro, mas a lição aqui é que você precisa saber quem são seus concorrentes reais antes de poder construir uma estratégia eficaz.

Caso contrário, você poderá desperdiçar milhares de reais em uma estratégia do Google Ads que não funcionará.

 

Compreenda mais profundamente sua concorrência

Depois de entender quem realmente é a sua concorrência, é hora de descobrir quais estratégias eles estão usando para ter sucesso.

O objetivo desta etapa é aprender, portanto (por enquanto) concentre-se nas empresas que estão se saindo melhor que você.

 

Use o Planejador de palavras-chave do Google

A ferramenta Planejador de palavras-chave do Google é uma mina de ouro para especialista em SEO ou Agência de SEO, além de profissionais de pesquisa paga.

Você pode pesquisar até 10 termos-chave de cada vez para entender se vale a pena oferecer algo.

A ferramenta fornece informações sobre a frequência com que os principais termos são pesquisados, estimativas de lances e fornece uma ideia de quão competitivo é cada termo.

Você também pode incluir seu site para obter sugestões de termos-chave mais personalizados.

Por exemplo, termos de comida de gato e comida de cachorro têm muita concorrência. Para marcas menores sem um orçamento pesado de PPC, esses termos podem estar fora de alcance.

No entanto, o Planejador de palavras-chave também pode ajudá-lo a encontrar algumas palavras com custo mais baixo. Ao classificar a concorrência de baixo para alto, você pode ver que existem vários termos-chave com uma concorrência muito menor.

“Filhote de cachorro continua derramando água” pode ser uma boa palavra-chave para um prato de água mais alto, por exemplo.

“Como fazer meu cachorro urinar no lugar certo” pode ser um termo que você pode segmentar com um anúncio um produto que auxilie cachorros a urinar em local adequado.

Esses termos mostram menos intenção de compra, para ser justo. Mas ainda pode valer a pena considerar.

A ferramenta de planejamento de palavras-chave passou por várias alterações recentemente. Se já faz algum tempo desde que você usou a ferramenta, talvez seja hora de aprimorar seus conhecimentos.

 

Use ferramentas de terceiros

Embora a ferramenta Planejador de palavras-chave do Google forneça uma grande quantidade de informações, você precisará trazer todo tipo de recurso quando estiver tentando ter sucesso com anúncios do Google.

SEMrush e Spyfu são ferramentas fantásticas que oferecem uma quantidade imensa de informações que você simplesmente não encontrará em uma ferramenta gratuita.

O SEMrush fornece dados sobre os principais termos de volume de pesquisa, CPC, tendências e muito mais. Ele também fornece exemplos de anúncios da concorrência (para que você possa ver o que outras marcas estão fazendo), resultados de pesquisa orgânica, termos-chave relacionados e muito mais.

É um pouco caro, mas existem muitos recursos além da pesquisa de palavras-chave que a tornam útil. Além disso, há uma avaliação gratuita de 7 dias.

SpyFu é tudo sobre descobrir o que seus concorrentes estão fazendo.

Você pode descobrir exatamente quais termos principais eles estão usando, quanto pagaram e quantos cliques receberam.

Isso significa que você pode ver o que funciona e pode até se poupar de testar uma estratégia que fracassará. Você também pode usar o Spyfu para identificar e rastrear marcas emergentes antes que elas assumam o controle.

O Spyfu fornece recomendações individuais para ajudá-lo a melhorar as campanhas, sugerindo palavras-chave que você ainda não está segmentando.

 

Pergunte por que

As ferramentas acima fornecerão enorme quantidade de informações, mas o que você fará com essas informações?

Agora é hora de perguntar: Por que seus concorrentes estão vencendo você? É fácil supor que eles simplesmente tenham mais dinheiro para gastar.

Mas, um pouco de autorreflexão irá percorrer um longo caminho aqui. Observe todos os aspectos – os termos que eles usam, as imagens que incluem, para onde vão os links etc.

Você pode usar a mesma estratégia ou similar, talvez em uma palavra-chave menos competitiva que eles não estejam alvejando?

 

Dê uma olhada em seus principais termos

A seleção das palavras-chave certas para sua campanha é fundamental para exibir seus anúncios aos clientes certos e é uma etapa básica que geralmente é negligenciada.

Comece criando uma lista das principais categorias da sua empresa e procure palavras ou frases que se enquadram em cada uma dessas categorias. Certifique-se de incluir as palavras que seus clientes usariam para descrever seus produtos ou serviços.

Para ficar com o exemplo do pet shop, você pode começar com algumas categorias básicas que os clientes usariam, como “comida de cachorro”. Termos-chave gerais geralmente são altamente competitivos.

Você também pode adicionar “ração seca” e “ração úmida” se descobrir que estes são termos comumente usados. Expanda sua lista ainda mais, incluindo nomes de marcas e produtos de itens que você carrega, como “Ração para cachorros purina”, entre outros.

Outra maneira de encontrar termos importantes é revisando os dados de pesquisa interna do site.

Você pode descobrir, por exemplo, que muitos usuários pesquisam “comida de gato para gatos siameses” ou “comida de cachorro sem grãos”. Podem ser termos que você deve considerar como segmentação.

Não se esqueça de revisar regularmente seus principais termos negativos para reduzir os gastos com anúncios em termos não relevantes.

A maioria dos profissionais de marketing não se preocupa em configurá-los ou define palavras-chave negativas uma vez e os esquece. Não cometa este erro!

 

Lance com termos de marca

As palavras-chave da marca podem ser termos de pesquisa que incluem o nome da sua marca ou o nome da marca do concorrente. Pode parecer inútil definir lances para sua própria marca, especialmente quando você acha que seu posicionamento orgânico terá uma classificação alta.

Se não, seus concorrentes aparecerão – e os anúncios deles serão exibidos acima das páginas orgânicas que você trabalhou duro para classificar.

A segmentação por termos de marca também facilita o envio de visitantes para uma página de destino segmentada, o que permite abordar pontos problemáticos muito específicos.

Pode parecer arriscado, mas você não quer arriscar que um concorrente roube os clientes que procuram sua marca.

 

Melhore seu Índice de qualidade

O Índice de qualidade é uma classificação que o Google usa para mostrar a relevância e a qualidade do seu anúncio.

A composição desse índice de qualidade começa desde a qualidade, estabilidade, velocidade da sua página até a qualidade dos seus anúncios. Fatores como uma boa hospedagem de site, um código leve e otimização de imagens e textos pesam neste momento.

Se os clientes clicarem constantemente em um complemento apenas para se perderem em um labirinto de conteúdo não relacionado, seu índice de qualidade sofrerá. E embora a criação de um anúncio de alta qualidade faça sentido lógico, há outro benefício a ser lembrado.

Na maioria dos casos, um índice de qualidade mais alto se correlaciona com um menor custo por conversão.

Lembre-se de que um ótimo Índice de qualidade é o Google, afirmando que seu anúncio atende às necessidades de seus clientes em potencial. Quando isso acontece, o Google cobra menos por clique – e você provavelmente verá uma taxa mais alta de conversões.

Comece criando páginas de destino dedicadas e usando inserções dinâmicas de palavras-chave para tornar seus anúncios mais relevantes. Apenas essas pequenas alterações podem economizar muito dinheiro com gastos com anúncios, aumentando seu Índice de qualidade.

 

Melhore sua estratégia de conversão

Em uma campanha bem-sucedida do Google Ads, os anúncios são apenas metade da equação.

Depois de ganhar esse clique, o que acontece?

  • Você os leva para uma página de destino ou sua página inicial?
  • Como você se envolve com eles?
  • Como você facilita o check-out?
  • Você pede um endereço de e-mail ou oferece uma consulta gratuita?
  • Você oferece um desconto ou avaliação gratuita para incentivá-los a dar o próximo passo?
  • Você está oferecendo aos clientes informações suficientes sobre os produtos ou serviços que você oferece?
  • Você inclui sinais de confiança, como HTTPs?
  • Você inclui a prova social e cases de clientes?

Depois de melhorar seus anúncios, você precisa garantir que você melhore todas as partes do processo de conversão.

 

Conclusão

O Google Ads pode ser um negócio cruel.

As marcas fazem lances para outras marcas, os profissionais de marketing gastam milhares de reais tentando novas estratégias e apenas os dois ou três principais anúncios obtêm tráfego real.

Pode ser frustrante, mas (felizmente) os índices de qualidade nivelam bem a disputa.

Não se preocupe em não ter o mesmo investimento de grandes players de seu mercado.

Preocupe-se em criar um anúncio segmentado e em fornecer aos clientes as informações necessárias para tomar uma decisão informada.

E, independentemente do desempenho da sua campanha atual, verifique se você está testando e tentando novas estratégias.

Isso o manterá um passo à frente da concorrência.

Visite também: webtrends.net.br/agencia-de-branding

Link building e backlinks? Sim, claro!

Link building e backlinks? Sim, claro!

Nenhum bom SEO sem backlinks: isso era verdade, e provavelmente continuará por muito tempo. Porque a internet e, portanto, também o Google ainda vive de links. No entanto, a qualidade dos links está se tornando cada vez mais importante. 

“Para culpar” não é apenas a atualização do Google Penguin de 2012, que tem sido desenvolvida continuamente ao longo dos anos. O gigante dos mecanismos de busca também está atualmente enviando esforços para punir o chamado “spam de link” com novas atualizações.

Link bom, link ruim

O fato é que o Google proíbe a compra de backlinks de acordo com as Diretrizes para webmasters. Se você violar isso, você, como operador do site, deve esperar a exclusão digital.

Ao mesmo tempo, no entanto, sites que são (frequentemente) naturalmente vinculados a páginas valiosas são recompensados. Um dilema para otimizadores de mecanismos de pesquisa?

De forma alguma, porque você apenas precisa prestar atenção aos dois termos “natural” e “valioso” para forjar um plano de construção de links legítimo que funcione como esse link “sapatenis masculino”.

Palavras-chave de dinheiro, página inicial e Cia

Claro, o algoritmo do Google não pode realmente olhar para as cartas. No entanto, com um pouco de bom senso, você pode reconhecer o que é considerado antinatural com uma probabilidade que beira a certeza e, portanto, desvalorizada ou, na pior das hipóteses, até punida.

A propósito, o Google não pune apenas os compradores de links, mas também os editores que oferecem links sem anunciar em seus portais. Conteúdo, âncora, atributo e página de destino em perfeita simbiose

Em primeiro lugar, é claro, a página na qual um link é colocado deve ser confiável para o Google e ter boas métricas correspondentes. Preste atenção a valores como o fluxo de confiança e a classificação do domínio. Dica: Uma simples olhada na impressão também pode valer a pena.

Backlinks de spiners de link ou páginas com uma reputação duvidosa devem ser eliminados, se possível. Frequentemente, trata-se de ” SEO negativo ” – esforços, por exemplo, de concorrentes, para prejudicar deliberadamente outros sites.

No entanto, as métricas da página de links estão longe de tudo o que torna um link um bom link.

1. Textos como corpos estranhos

Parte-se do fato de que alguns textos em sites parecem corpos estranhos ao invés de serem integrados à estrutura existente em termos de forma e conteúdo. Se tal artigo. Se não for marcado apropriadamente como um artigo convidado, isso levará a pelo menos uma confusão latente.

2. Vinculação “difícil”

“Palavras-chave de dinheiro”, ou seja, frases com alto volume de buscas mensais ou vinculadas com intenção de compra direta, bem como links âncora de marca (nomes de marca), são aceitáveis ​​em publicitários marcados como publicidade. Em postagens supostamente neutras, sem qualquer rotulagem, no entanto, eles levantam, com razão, muitas suspeitas.

3. Página de destino promocional

A página de destino claramente deseja vender um serviço ou produto, mas está vinculada a um artigo sem publicidade e “dofollow”. Um fenômeno comum que é mais do que obviamente não inteiramente kosher. 

Se, por outro lado, uma subpágina muito informativa fosse vinculada, o link poderia facilmente passar por “justificado” e, portanto, “natural”.

4. Link sem valor agregado

Links externos podem ser um fator de classificação para editores e aprimorar seu próprio conteúdo de forma sustentável e completa no espírito do Google. No entanto, isso só se aplica no caso de o link externo complementar o conteúdo de forma significativa – ou seja, oferecer valor agregado para o leitor. Se houver uma mera cópia do post vinculado na página vinculada, o link é de fato inútil – para ambos os lados.

5. Atributo de link impróprio

O Google enfatiza repetidamente que a publicidade (por exemplo, na forma de links afiliados ou outros links patrocinados) não é um problema para os editores nem para os clientes. Mas a publicidade também deve ser reconhecida como tal. 

As pessoas por trás do algoritmos do Google aconselham o uso de atributos no follow e patrocinados. Se eles não forem definidos, embora um ou mais fatores indiquem que um link foi comprado, os compradores e vendedores de links podem ter problemas a longo prazo.

Então o que fazer

Se você não quer arriscar penalidades ou apenas quer jogar dinheiro fora da janela por links caros porque eles não são avaliados, é melhor não comprar nenhum link. Parece duro, mas é assim. No entanto, existem maneiras e meios de construir um perfil de link que tem uma influência positiva em seus próprios rankings.

Por exemplo, se você se concentrar em bons publicitários, posts de visitantes e amplo marketing de mídia social , sua página se tornará naturalmente “visível”. Se você também tem seu próprio blog, ao qual pode ter um link (porque é informativo), você maximiza a chance de backlinks reais que farão bem ao seu site a longo prazo.