4 dicas para administrar corretamente um condomínio

4 dicas para administrar corretamente um condomínio

Quer faça parte do conselho de administração do seu condomínio ou seja simplesmente coproprietário, tem um papel a desempenhar dentro da entidade. Por isso, é importante conhecer o funcionamento de um sindicato e os elementos a serem considerados para administrar suas finanças com solidez. 

1. Conheça os papéis e direitos de todos

Geralmente são os membros do conselho de administração que são responsáveis ​​pela gestão das contas. Por exemplo, essas pessoas garantirão que o sindicato não pagará muitas taxas bancárias mensais e monitorarão as entradas e saídas de dinheiro.

Compete a cada um dos condôminos assistir às reuniões para exercer o seu direito de voto proporcional ao valor da sua quota-parte no edifício e tomar conhecimento das decisões tomadas pelo e para o sindicato.

Os co-proprietários têm também o direito de exigir dois signatários para cada uma das operações efectuadas nas contas. Uma forma de controlar as saídas de caixa e proporcionar maior proteção contra fraudes.

É preciso cautela para todos os coproprietários, estejam ou não envolvidos na gestão do condomínio. Você tem que confiar na pessoa que recebe o papel de administrador. Monitore finanças e peça para ver extratos bancários, orçamentos, cotações, etc.

Se você ainda não está familiarizado com os meandros do sindicato de condomínios, é importante entender o básico porque é um assunto complexo. Há muita documentação sobre o assunto. Gestores de condomínios e especialistas jurídicos também oferecem consultoria.

2. Limpar contas bancárias

O sindicato de copropriedade geralmente tem três tipos de contas: 

A conta corrente principal

É utilizada para gestão de tesouraria e diversas transações do dia-a-dia, como pagamento de serviços (ex. fundo de previdência).

O fundo de contingência

É usado apenas para pagar melhorias e reformas que afetam a estrutura do edifício (por exemplo, telhado, fundações). Os fundos desta conta não podem cobrir despesas correntes nem ser usados ​​como adiantamento em dinheiro para qualquer outra atividade.

O fundo de auto seguro

Permite o pagamento do montante de uma franquia em caso de sinistro. Ele também pode ser usado para pagar o trabalho quando o valor máximo de sua apólice de seguro for atingido.

Conte com um sistema de gestão de condomínios no auxílio da sua gestão financeira.

3. Lançar um estudo de fundo de previdência

A chave para um sindicato em boa saúde financeira é o estudo do fundo de contingência. Seja você sócio ou não, certifique-se de que sua associação de condomínio tenha o documento atualizado.

Assim, você protege seu investimento, garantindo que os fundos necessários para grandes obras estejam disponíveis quando chegar a hora. Você também evitará as surpresas desagradáveis ​​de uma avaliação especial de vários milhares de reais e facilitará a revenda de sua unidade quando chegar a hora”.

Um profissional irá avaliar o edifício: validar os serviços oferecidos no edifício (elevadores, piscina, ginásio, etc.), a sua localização e os materiais utilizados para a sua construção. Assim, ele avaliará a depreciação do prédio.

4. Otimize a cobrança das taxas de condomínio

Não é apenas essencial cobrar as taxas de co-propriedade que serão usadas para pagar as operações atuais e futuras melhorias estruturais, mas também cobrar uma quantia justa de cada um dos co-proprietários.

Recomenda-se também a cobrança mensal das taxas condominiais, de forma a simplificar a gestão e aperceber-se rapidamente de um condômino em dificuldade financeira.

As verificações podem ser um método complicado. Você pode optar pelo débito pré-autorizado, um método que garante a consistência dos pagamentos e evita ter que lembrar aos coproprietários que seu pagamento está vencido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *